A revolução do 25 de Abril de 1974 trouxe a Portugal Liberdade, pondo fim a um longo período de Ditadura fascista de 49 anos. Após 1976 houve retrocessos graves no processo desta revolução, patrocinada por partidos reaccionários de direita tendo como aliados algumas famílias Fascistas. Portugal foi caminhando o trilho de uma sociedade capitalista, geradora de profundas injustiças sociais.



Neste blog iremos denunciar os sistemáticos atentados que todos os dias ocorrem às Liberdades, Direitos e Garantias que herdámos de homens e mulheres que lutaram para que fosse possível o maior acontecimento histórico do século xx em Portugal.



quarta-feira, 31 de março de 2010

Jerónimo e Cavaco – Malha em cheio no fito

 
Os posicionamentos individuais perante a vida e os acontecimentos que a compõem, se não definem sempre a origem e consciência de classe dos indivíduos, pelo menos esclarecem-nos sobre os seus alinhamentos, simpatias e pensamento. É assim com quase todos os factos da nossa vida social e política... é assim com o PEC.

Este Programa de alegada Estabilidade e reiteradamente prometido Crescimento é um conjunto de medidas de tal maneira definidor de uma política, que quase todas os ataques, defesas, ou simples opiniões sobre ele, dizem-nos claramente ao que vem quem se pronuncia.

Assim chegamos a Jerónimo de Sousa, um político e um ser humano de quem gosto alguns dias ainda mais do que nos restantes. Perante a fúria privatizadora deste PEC, em que o governo PS tenta disfarçar a entrega de mão beijada aos privados de tudo o que dá lucro no sector público, de solução não só inevitável, como também um bom negócio para o Estado, Cavaco Silva rapou dos seus méritos contabilísticos e descobriu que isso (a juntar às restantes malfeitorias de que o PEC está cheio) é uma coisa muito boa para Portugal.

Ao lembrar que a nossa Constituição preconiza a existência de um forte Sector Empresarial do Estado, Jerónimo de Sousa afirma que esta posição de Cavaco é um mau trabalho. Mau trabalho como economista, mau trabalho como cidadão, péssimo trabalho como Presidente, que tem como obrigação maior defender a Constituição.

É uma afirmação contundente, esta de Jerónimo de Sousa. Bate aos pontos o meu já habitual “pano encharcado”...

terça-feira, 23 de março de 2010

PECado Mortal!

PECado Mortal de todos os trabalhadores!

Este PEC mata lentamente:
O futuro
As reformas
o trabalho
o trabalhador
Portugal

segunda-feira, 22 de março de 2010

PAZ SIM ! NATO NÂO!





Em defesa da Paz! Fora com o exercito do Capitalismo!

Lembrar Abril, Trinta anos depois alguem escreveu!

"Filhos de Abril": Deixamos aqui um texto, de um Camarada que faz falta! 

O 25 de Abril, todos os dias Para ser absolutamente sincero - e não faz sentido que dialoguemos com o leitor a não ser numa base de absoluta sinceridade -, começo a ficar farto desta comemoração de apenas um dia, e ainda mais farto dos pedidos que me fazem para escrever um textozito a propósito. Para o 1º de Dezembro, ninguém me pede nada; o mesmo para o 5 de Outubro, e até para o 1.º de Maio. Mas quando se aproxima o 25 de Abril, é um autêntico corrupio! então este ano - talvez porque 30 anos já conferem ao aniversário a respeitabilidade suficiente -, tenho vindo a receber as solicitações mais diversificadas. Até me telefonou um velho amigo da Coimbra dos anos sessenta, que andou pelo MDP/CDE nos meses solares da revolução, e que eu já não vejo vai para quase 30 anos, e que, soube-o agora por ele, dirige uma folha de província na Beira Alta, na órbita financeira dos caciques democratas do PSD. "Escreve-me qualquer merda, pá, tu nem escreves mal, e a gente pode nem concordar com vocês, mas vocês, comunistas, têm do 25 de Abril uma experiência que mais ninguém tem". Bem tentei escapar-me, que ando muito ocupado com a profissão, que ele corria o risco de os amigos não virem a gostar do que eu escrevesse, mas ele nada, não se comoveu, e até perorou qualquer coisa sobre a evolução, e sobre cartazes, e sobre a democracia, e eu, coitado de mim, não fui capaz ou não tive coragem para lhe dizer que não. Lá lhe mandei o texto, tarde e a más horas, com a esperança difusa de assim lhe fornecer o pretexto para que não fosse publicado... Mas verdadeiramente inesperado foi pegar no meu telemóvel, interromper aquele toque de chamada musical e parolo que nunca entendi como me caiu em sorte, e ouvir do outro lado "Estou a falar do «Mensageiro dos Pobres». O Doutor está?". O "Doutor" a que o «Mensageiro dos Pobres» se queria referir era certamente eu, e nada melhor do que este tratamento para ouvirmos com alguma atenção o que os outros têm para nos dizer. Mas que raio seria o «Mensageiro dos Pobres»?.. Cheirava a coisa antiga, por um lado, e, por outro, parecia-me contraditoriamente sofisticado que os pobres utilizassem um qualquer Mercúrio alado para fazerem ouvir os seus queixumes. Com tudo isto, seguiu-se um longo silêncio depois do "O Doutor está?". Pelo que o outro lado se viu na obrigação de continuar: "Lembras-te" passou do "Doutor" para o "tu"... -, "lembras-te dos tempos da JEC?". (A JEC, ensino eu aos católicos e ateus incultos de hoje, era a Juventude Escolar Católica, por onde andei no então Liceu Nacional de Angra do Heroísmo). E o outro lado não parava: "Agora sou pároco aqui em (...), sei que foste Deputado do PCP na Assembleia da República, quero que me escrevas umas linhas sobre o 25 de Abril para o nosso jornalzinho, o «Mensageiro dos Pobres», ou tu julgas que os padres são todos uns reaccionários?.., eu sei que continuas no PC e és um tipo aberto, manda-me lá qualquer coisa, olha que tem de ser curto, se não o povo não lê, e manda-me isso já, toma lá nota do endereço: (...). Recebe um grande abraço, a gente depois volta a falar... E antes que desligue: lembras-te de quando a PIDE andou atrás de ti e eu te encafuei na casa paroquial?.. Foi de mestre!". E desligou. O que é mais engraçado nisto tudo é que lá lhe enviei o texto - "umas linhas", como ele me pedira -, para o endereço que passei para o gravador do telemóvel, e ainda hoje não sei exactamente com quem falei. (Tenho dois ou três nomes hipotéticos na cabeça, mas prometi a mim mesmo que, se ele voltar a telefonar-me para o 31º aniversário, hei-de arrancar-lhe ao menos o nome. Já tenho projecto de vida com que me ocupar durante um ano). o 25 de Abril, como vocês estão a ver, é verdadeiramente uma data mágica. Mágica - mas não o bastante. Porque não me telefonam apenas a pedir-me textos. O António ligou-me, como o faz sempre nesta época, desde há 30 anos... O tom da voz é cada vez mais empastado e há palavras que tenho ano a ano mais dificuldade em perceber. Fala-me mais com silêncios arrastados, guturalizados de quando em vez com restos de gritos que ele próprio já não ouve. Disse-me, desta vez (ou sou eu quem inventa o que ele me quer dizer...): "Vem aí o dia da libertação, camarada. Tu, eu, o Xico, o Zeca Beirolas e o outro-António, o alferes, lembras-te dele?, temos de combinar beber umas cervejolas. No dia 24 acertamos, 'tá bem?". Já sei que, tal como nos 30 anos anteriores, eu e o António não nos vamos poder encontrar com os outros. O Xico, o Zeca Beirolas e o outro-António, o alferes, morreram na guerra em Moçambique, não houve para eles qualquer data libertadora. O meu amigo, este António que quase não consegue falar-me, é um sortudo, e a realidade há muito que já lhe não diz nada. O 25 de Abril é mágico - mas não o suficiente. 

José Fernando Araújo Calçada - 54 anos Inspector do Ensino Secundário Publicado na obra “30 anos de Abril, 30 textos”, Ed. Fórum

sexta-feira, 19 de março de 2010

José Saramago – Cadernos de Lanzarote - Diário III

«Privatize-se tudo, privatize-se o mar e o céu, privatize-se a água e o ar, privatize-se a justiça e a lei, privatize-se a nuvem que passa, privatize-se o sonho, sobretudo se for diurno e de olhos abertos. E finalmente, para florão e remate de tanto privatizar, privatizem-se os Estados, entregue-se por uma vez a exploração deles a empresas privadas, mediante concurso internacional. Aí se encontra a salvação do mundo… e, já agora, privatize-se também a puta que os pariu a todos.»

TODOS SOMOS GALEGOS

A emigração em Portugal sempre existiu, mostrando que este Portugal sempre foi “madastro” para muitos dos seus filhos. Nos anos 60 e início dos 70 acentuou-se o fenómeno,verificando-se a procura de uma melhor vida e a fuga às guerras coloniais.

Hoje, em pleno regime democrático, politicas de classe determinam a ausência de condições materiais mínimas para sobreviver dentro de fronteiras e para muitos a procura (muitas vezes ilusória) de melhores salários fora da Pátria.

A emigração sempre foi cantada em Portugal. José Afonso cantou-a na Canção do Desterro e no Adeus ó Serra da Lapa. Mas a mais emblemática interpretação do fenómeno da emigração teve a voz sempre eterna de Adriano Correia de Oliveira no poema de Rosália de Castro, poetisa Galega, letra adaptada e música de José Nisa (Cantar de Emigração).

Hoje escondem-se as “mães que não têm filhos e os filhos que não têm pais”.

Cantar de Emigração

Este parte, aquele parte
e todos, todos se vão
Galiza ficas sem homens
que possam cortar teu pão

Tens em troca
órfãos e órfãs
tens campos de solidão
tens mães que não têm filhos
filhos que não têm pai

Coração
que tens e sofre
longas ausências mortais
viúvas de vivos mortos
que ninguém consolará

quinta-feira, 18 de março de 2010

CASO BPN: ESCÂNDALO E IMPUNIDADE

A burla cometida no BPN não tem precedentes na história de Portugal !!!

O montante do desvio atribuído a Oliveira e Costa, Luís Caprichoso, Francisco Sanches e Vaz Mascarenhas é algo de tão elevado, que só a sua comparação com coisas palpáveis nos pode dar uma ideia da sua grandeza.

Com 9.710.539.940,09 € (NOVE MIL SETECENTOS E DEZ MILHÕES DE EUROS…..) poderíamos:

Comprar 48 aviões Airbus A380 (o maior avião comercial do mundo).
Comprar 16 plantéis de futebol iguais ao do Real Madrid.
Construir 7 TGV de Lisboa a Gaia.
Construir 5 pontes para travessia do Tejo.
Construir 3 aeroportos como o de Alcochete.
Para transportar os 9,7 MIL MILHÕES DE EUROS seriam necessárias 4850 carrinhas de transporte de valores!

Assim, talvez já se perceba melhor o que está em causa.

Distribuído pelos 10 milhões de portugueses,
caberia a cada um cerca de 971 €  !!!

Então e os Dias Loureiro e os Arlindos de Carvalho onde andam?!
E que tamanho deveria ter a prisão para albergar esta gente?!

terça-feira, 16 de março de 2010

IMORALIDADE nas chamadas telefónicas de Solidariedade

É uma vergonha o que se passa com o valor das chamadas telefónicas de ajuda a vítimas de catástrofes.

Vejamos então o que se passa com as ditas chamadas:

      * Cada chamada custa a quem a faz 72 cêntimos (60 cêntimos + IVA).
      * No entanto para as organizações de ajuda no terreno são canalizados apenas 50 cêntimos, ou seja mais ou menos 69% do que pagámos.
      * Os restantes 31% - 22 cêntimos - vão uma parte para o IVA 20% e restante não sabemos bem para quem.

*Assim dos 72 cêntimos que oferecemos temos que:*

  - organizações de Solidariedade recebem 50 cêntimos

  - para os cofres do governo através do IVA 20% 12 cêntimos

  - não sabemos exactamente para quem vai 10 cêntimos

É aqui que achamos haver uma grande IMORALIDADE pois estas chamadas têm o mesmo tratamento por parte das autoridades que qualquer outra chamada de valor acrescentado, como se a pessoa que a efectua estivesse num qualquer concurso que agora por aí proliferam, e não a ajudar quem necessita.

Mais ainda é de estranhar mais uma vez que se fizermos um donativo em dinheiro para qualquer instituição de solidariedade a pessoa ou entidade que o faz vai ter benefícios fiscais em sede de IRS e IRC conforme seja pessoa singular ou colectiva.

É claro que se analisarmos isto apenas por uma chamada, os valores são irrisórios.

No entanto é preciso não esquecer que são muitos milhares de chamadas que estão em questão.

Vejamos um exemplo:

É vulgar ouvirmos, numa qualquer estação de televisão que esteja a patrocinar uma dessas campanhas, que já conseguiram angariar 200.000 euros para uma tal organização. Assim temos que foram feitas 400.000 chamadas que custaram a quem as fez 288.000 euros ou seja mais 44% do que o valor que a organização recebeu, sendo que 40.000 euros (20%) não sabemos exactamente para onde foram e os outros 48.000 euros (24%) foram para o governo através do IVA. Ora olhando para os números acima temos que concordar que o negócio é no mínimo apetecível.

Por isso achamos *vergonhoso e IMORAL* e é obrigação de todos alertarmos para esta situação divulgando-a o mais possível com o fim de que pelo menos o valor do IVA seja retirado ou melhor ainda, seja acrescentado aos tais 50 cêntimos e entregarem não 50 mas 62 cêntimos ás organizações de solidariedade que actuam no terreno.

Em relação aos outros 10 cêntimos é de lamentar como se aproveita o sofrimento de uns e a solidariedade de outros para se fazer negócio.

José Penedos recebeu prémio de 244 mil euros da REN

" Filhos de Abril": Isto não é utopia! É nisto que o Povo Português tem votado ao longo de 34 anos!  
 cuidado pode ser hereditário!

Apesar de já ter deixado a presidência da REN, cargo agora ocupado por Rui Cartaxo, José Penedos teve direito a prémio na empresa pública. O arguido no processo "Face Oculta" recebeu 243 750 euros de bónus no final do ano passado. A este valor soma-se ainda um salário de quase 27 mil euros por mês na companhia, o que totaliza 621 mil euros de remuneração.
No total, a REN atribuiu quase 3,2 milhões de euros em salários e prémios aos seus administradores, quer executivos quer não executivos, embora estes últimos não tenham direito a bónus. Só em prémios, os gestores receberam, na totalidade, mais de um milhão de euros.
No entanto, para o próximo ano, os gestores da empresa não vão receber qualquer tipo de remuneração variável, já que na sexta-feira foi aprovado no Parlamento o fim dos prémios para os gestores públicos no ano de 2010.
A REN é uma das empresas que será abrangida por esta medida, já que é detida em 46% pela Capitalpor, que por sua vez pertence à Parpública. Já companhias como a EDP ou a Portugal Telecom não serão afectadas pela nova regra, uma vez que a participação do Estado é minoritária.

DA LEITURA DOS JORNAIS - IV

Estudo recente (dados de 2009) do economista Eugénio Rosa revela:

Escolaridade

Até Ensino Básico      M (Mulheres) – 29,7% da população activa
                                    H (Homens) -     38,1%

Com Ensino Secundário
e Superior                    M (Mulheres) – 17,4%
                                     H  (Homens)   - 14,7%

Emprego

Até Ensino Básico        M (Mulheres) – 29,3% da população empregada
                                      H (Homens) –   38,1%

Com Ensino Secundário
e Superior                       M (Mulheres) – 17,6%
                                        H (Homens) – 15%

Conclusão: Apesar das mulheres possuírem um nível médio de escolaridade superior ao dos homens, estatisticamente as entidades patronais parecem não reconhecer as suas competências no emprego

Democracia do PS, PSD e CDS

Vítor Constâncio governador do Banco de Portugal ganha 272.628,00 € por ano, ou seja quase 18.200 contos MENSAIS, 14 meses/ano.
Outros ordenados chorudos do Banco de Portugal :
O Vice-governador, António Pereira Marta       - 244.174,00 €/ano
O Vice-governador, José Martins de Matos      - 237.198,00 €/ano
José Silveira Godinho      - 273.700,00 €/ano
Vítor Rodrigues Pessoa   - 276.983,00 €/ano
Manuel Ramos Sebastião - 227.233 €/ano

O Vice-governador, António Pereira Marta até acumula com o seu salário com a sua pensão como reformado ... do Banco de Portugal.
Aliás, o Vítor Rodrigues Pessoa, também tem uma reforma adicional de 39.101,00 €/ano Total 316.084 €/ano
e o José Silveira Godinho também acumula com uma pensão do BP, mais 139.550,00 €/ano Total   413.250,00 €/ano
Campos e Cunha, ex-ministro das Finanças recebeu durante os dois meses em que esteve no Executivo 4.600,00 euros mensais de ordenado e uma reforma de 8.000,00 euros do Banco de Portugal.
Mira Amaral saiu da Caixa Geral de Depósitos (CGD) com uma reforma de gestor 18.000,00 euros. Na altura acumulava uma pensão de 1,8 mil euros, como deputado e 16.000,00 euros como líder executivo da CGD.
 
O que nos choca não é o valor da reforma. É o facto de Mira Amaral poder auferir desta reforma (paga pelos contribuintes) ao fim de apenas um ano e nove meses!!!!!!
Esta situação é profundamente escandalosa e tem repercussões que afectam a própria credibilidade do regime democrático.
Esta forma aparentemente ligeira como é gasto o dinheiro dos contribuintes é grave pelo acto em si e pelo seu impacto na legitimidade do Estado para impor novas formas de captar receita.
 
LEMBRAM-SE O QUE O POVO PORTUGUÊS FEZ EM RELAÇÃO A TIMOR?????? E AGORA QUE FAZEMOS POR NÓS??????? NADA!!!!!!!!
LEMBRAM-SE O QUE O POVO PORTUGUÊS FAZ QUANDO A SELECÇÃO JOGA?????
SE NOS MOBILIZAMOS POR DETERMINADAS CAUSAS, PORQUE NÃO POR NÓS PRÓPRIOS? BANDEIRAS  NAS JANELAS, COMO FIZEMOS COM A SELECÇÃO PORTUGUESA, MAS EM VEZ DA BANDEIRA PORTUGUESA, BANDEIRAS NEGRAS E ESCREVER NELAS AS PALAVRAS DE ZECA AFONSO "ELES COMEM TUDO E NÃO DEIXAM NADA"
 
"Filhos de Abril" : Exige-se rotura com estas politicas de Direita!
 Por um novo Abril!
Recuperar nacionalizando todos os  Serviços Públicos essenciais para uma  sociedade igualitária (água, transportes, energias, Banca, seguradoras ).
Educação Pública, gratuita para todos;
Todos com o mesmo sistema de saúde;
Todos a pagarem impostos;
Todos a terem reformas merecidas e justas;
Todos com o mesmo sistema de Justiça e não um para os ricos (intocáveis) e outro para os pobres.

segunda-feira, 15 de março de 2010

MUSS-L/R solicita reuniões a diversas entidades

O MUSS-L/R (Movimento de Utentes dos Serviços de Saúde de Lordelo e Rebordosa) aguarda resposta à solicitação de reuniões com os directores do Agrupamento de Centros de Saúde Tâmega II – Vale do Sousa Sul, Centro de Saúde de Rebordosa e a Unidade de Saúde de Lordelo, com a vista a debater vários assuntos de interesse dos utentes.

domingo, 14 de março de 2010

Acção de limpeza - 20 Março (Lordelo)

Várias entidades lordelenses vão juntar-se para realizar uma acção de limpeza das margens do rio Ferreira, no próximo dia 20 Março.
A coordenação desta iniciativa será da responsabilidade da Moinho - Associação Ambiental, Patrimonial e Cultural de Lordelo, associação que tem realizado diversas acções de limpeza na cidade de Lordelo.
Esta iniciativa servirá também para assinalar o Dia Mundial da Árvore.

Ler mais: Moinho

sábado, 13 de março de 2010

DA LEITURA DOS JORNAIS -3

A Assembleia Municipal de Paredes continua a ser comentada de forma crítica, nomeadamente pelo tom insultuoso que PSD e PS utilizam nas suas intervenções. Mas muito mais acontece, que não tem sido divulgado, nomeadamente a intervenção séria e qualificada da CDU.

Percebe-se mal o tom abusivo de generalização que a todos enlameia em geral, num “todos iguais, mesmo que sejam diferentes”.

A propósito de um editorial de um semanário local, que insinua um ambiente de generalizada “macacada”, e não reconhece uma distinta forma de agir na CDU, o respectivo autor merece que se lhe diga:

“Cego também é o que vê e se nega a acreditar no que vê. Mas o pior cego é o que ilude o que realmente vê, tentando ser o que não é – justo e sério.”.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Associação Moinho no CFPIMM


A convite da turma EFA/NS/E/3 do Centro de Formação Profissional das Indústrias da Madeira e Mobiliário (CFPIMM), a Associação MOINHO participou numa palestra sobre “Ambiente e Sustentabilidade”, que se fez representar por Miguel Correia.
A outra entidade convidada foi o Pelouro do Ambiente da Câmara Municipal de Paredes, representada pela Engenheira Maria João Nunes.
Esta representante da Câmara Municipal, na sua intervenção, realçou a importância da defesa do meio ambiente como factor de sustentabilidade de qualquer comunidade seja internacional, nacional ou local. Aproveitou ainda para falar sobre a política ambiental levada a cabo pela autarquia paredense e os diversos serviços prestado pelo Pelouro do Ambiente.
Em seguida, Miguel Correia tomou a palavra para valorizar o papel das Escolas na formação da consciência ambiental e a importância das associações ambientalistas para o desenvolvimento sustentável. Aludindo à obra do filósofo alemão Hans Jonas “O Princípio da Responsabilidade”, lembrou que um “acto individual tem sempre uma consequência universal, isto é, a responsabilidade no mundo actual não está circunscrita à dimensão do presente e à comunidade local, mas alarga-se à dimensão do futuro, das gerações vindouras e a todo o planeta”.
Depois fez uma resenha histórica da Associação Moinho, as actividades realizadas e os projectos futuros da associação ambientalista lordelense.
De seguida os alunos mostraram e explicaram os trabalhos feitos as partir de materiais recicláveis.

PIOR QUE TODAS AS DOENÇAS, É O CAPITALISMO!

Pior que a gripe sazonal, gripe - A, doenças que existiram, que existem, e até outras bem piores que possam vir a aparecer, é o Capitalismo!
Por ser o principal responsável pelas maiores carnificinas humanas que há muito vêm a acontecer, e assim continuará enquanto não for extinguido.
Porque se trata de um sistema que vive exactamente, não à custa do bem, mas essencialmente à custa do mal dos povos.
Por exemplo: - se o mundo vivesse em paz, o que seria do Capitalismo?
Eu atrevo-me a dizer: - não podia existir!
Porque a Paz, não é fonte para matar sua sede, nem a mesa que serve o seu sustento!
E para prová-lo, veja-se o exemplo de Obama, Presidente dos estados Unidos da América, (a maior Potência Imperialista e trave mestra do Capitalismo Mundial)que para chegar ao poder prometeu a Paz não só ao povo Americano, como também conseguiu criar muitas ilusões aos povos do mundo inteiro.
Mas assim que venceu as eleições, logo preferiu seguir o mesmo método sanguinário que o seu antecessor, o Republicano, George Bush.
Pois em vez de pôr fim ás guerras que por objectivos Imperialistas a U.S.A. fabricou no mundo Árabe, e que já ceifou um mar de vidas, semeou a fome, o desentendimento, o terror e destruiu muitas cidades milenares. Acabou há bem pouco tempo, de anunciar o envio de mais 30000 militares por parte dos EUA para o Afeganistão.
É caso para pensar, como é possível, que mesmo assim, o mundo tenha assistido há grande hipocrisia, de lhe terem atribuído o Prémio Nobel da Paz?
A Paz não pode ser confundida com os amantes das guerras. E por isso entendo que esse Prémio, pelo claro empenho de Obama em manter os Patrões das guerras: Deve-lhe ser retirado, e os mesmos senhores que lhe atribuíram tal Prémio: - devem sim, criar o “Prémio Nobel da Guerra”. E então, ao Sr. Obama devem-lho dar, porque bem o merecerá.
Sempre ouvi dizer: - que não são as cores que são responsáveis pelo bem ou pelo mal. Mas sim o que por baixo delas possa estar escondido. E sendo assim, que importa que o Sr. Obama, até tenha sido o primeiro negro a ser eleito como Presidente em toda a historia dos Estados Unidos da América?
Se até como se sabe, foi eleito pelo partido Democrático Americano? Que tal como o Partido Republicano, que foi derrotado, ora um, ora outro no poder, para defenderem os interesses dos poderosos Americanos e do mundo, a tudo de mal têm recorrido.
È entretanto revoltante ver o governo PS/Sócrates, para tentar branquear as suas enormes responsabilidades politicas pela situação de miséria em que milhões de portugueses se encontram, vai dizendo que a culpa é da crise Internacional.
Mas já anunciou que em Janeiro, vai enviar um novo contingente militar português para o Afeganistão, como forma é claro, de dar o seu servil apoio à decisão de Obama.
Sócrates (que até se diz Socialista), diz não haver dinheiro para melhoria a sério dos salários, reformas e pensões. Mas há dinheiro para gastar aos milhões, em armas e militares. Para ajudar o seu amigo Obama principal mascote actual, do Capitalismo mundial.
Pelo desarmamento, contra o envolvimento de Portugal nas guerras Imperialistas, pelo regresso imediato das tropas Portuguesas do Afeganistão, contra os anseios imperiais do capitalismo, é imperioso lutar pela Paz!
Devido à sua essência o Capitalismo é Desumano e cruel!
Não há outra saída – o futuro! – é o Socialismo!

Armando Mesquita

DA LEITURA DOS JORNAIS - 2


Infelizmente os jornais não reproduziram o conteúdo da Conferência de Imprensa dada em 5 de Março pelos Eurodeputados Comunistas Ilda Figueiredo e João Ferreira e por Jaime Toga, responsável pelo PCP/Porto. Sublinhe-se estes dados.
“Esta região (do Porto) tem um PIB per capita de 59, sendo a média nacional 100 e o ganho médio mensal dos trabalhadores por conta de outrem é inferior em 306 euros ao ganho médio do País, conforme comprova o quadro que se segue.
Em todos os 8 concelhos do distrito do Porto que integram a sub-região do Vale do Sousa e Baixo Tâmega, o desemprego é superior à média nacional (ver quadro abaixo).
Durante os últimos anos, a emigração foi o recurso para muitos trabalhadores daquela região. O êxodo de trabalhadores para o estrangeiro, pela sua dimensão e impacto que tem nas comunidades de origem dos emigrantes, faz lembrar, em alguns aspectos, a vaga de emigração da década de 60.”

segunda-feira, 8 de março de 2010

Defender Abril é defender a água pública!

Foi a revolução de Abril e o processo que se lhe seguiu, as nacionalizações, a Constituição de 1976 e a Lei de Delimitação dos Sectores (1977) que a água, a produção hidroeléctrica e as indústrias essenciais passaram a ser públicas. A água passou a ser nessa altura, «de todos», e alterou-se o objectivo da administração pública. Os serviços públicos e a água foram uma conquista de Abril, foram ganhos. São do período logo a seguir ao 25 de Abril, impulsionados pela reforma agrária, a maioria dos aproveitamentos hidro-agrícolas colectivos e de fins múltiplos, que existem hoje. É também desta época a extensão da rede eléctrica a todo o país e o grande avanço no abastecimento público de água.

domingo, 7 de março de 2010

Paredes: Em defesa da Água Pública

Considerando que:
• A água é o suporte de todas as formas de vida, essencial a todos os processos naturais, estruturante da habitabilidade dos territórios e indispensável a qualquer actividade humana, social e económica;

• O acesso à água é um direito fundamental que tem ser assegurado a todas as pessoas, independentemente da sua condição económica e social e da região onde habitem;

• O direito de todas as pessoas à água está implícito na Constituição da República Portuguesa e na Declaração Universal dos Direitos do Homem, mas não está formalmente explícito na legislação e não é universalmente exercido
em Portugal.

• A realização do direito à água requer infra-estruturas e serviços que não são multiplicáveis e para os quais não há alternativa, com uma fortíssima componente fixa associada à área servida e às pontas de consumo e não aos seus mínimos ou médias.

• A capitação necessária à utilização doméstica em condições higiénicas e dignas depende de inúmeros factores, culturais, climáticos, das instalações de utilização, da pressão na rede e outros, situando-se em Portugal entre os 150 e os 250 litros por pessoa e por dia.

1.O reconhecimento em lei do direito de todas as pessoas à água, nomeadamente:

• Água para beber, para confecção de alimentos e higiene em quantidade e qualidade adequada, e a serviços e tratamento das águas residuais, sobrepondo-se essa garantia a todos os outros critérios e direitos de utilização da água ou do domínio público.

• A um ambiente ecologicamente sadio e à fruição da paisagem, praias, acesso aos rios e às utilizações públicas da água, salubridade e bom estado das águas, segundo o princípio do uso livre e gratuito.

• À segurança própria e dos seus bens face a inundações e a outros desastres naturais ou tecnológicos associados aos escoamentos hídricos.

• À segurança dos rendimentos de trabalho dependentes da água, com ênfase para a pesca, agricultura e pecuária.

• À defesa dos seus direitos e interesses em relação à água através de processo judicial acessível, célere, simplificado e gratuito.

2.O enquadramento legal, institucional e de administração económica que  garanta de facto esse direito e que exige:

*A consagração da propriedade comum da água e da igualdade de direito à sua fruição, sem qualquer discriminação, nomeadamente pela capacidade económica.

*A responsabilidade do Estado por garantir  o exercício do direito de todos à água e assegurar   uma  política  da  água  com  base  na  solidariedade,  em  harmonia  com  a dinâmica dos processos naturais e norteada pela defesa do primado do seu carácter comum.

*A gestão da água e dos serviços de água com responsabilidade pública inalienável, exercida por legítimos  representantes  dos cidadãos, sem fins lucrativos e visando a melhoria do bem-estar comum da população actual e das gerações vindouras.

*  Serviços  de água públicos, competentes,  transparentes  e funcionais, dotados  de recursos necessários.

Face ao acima enunciado e à importância da água como recurso indispensável à vida e como sector estratégico ao desenvolvimento económico do País,apelamos a necessidade de consagrar em lei a água como um Direito de todas as pessoas, e por isso, consideram um imperativo a revogação da actual lei da água e diplomas decorrentes, incluindo os referentes aos serviços de abastecimento de águas e águas residuais.

MUSP : Movimento de Utentes dos Serviços Públicos

sexta-feira, 5 de março de 2010

Dia Internacional da Mulher‏ na casa da Cultura em Paredes

Dia Internacional da Mulher‏
 

Associação Empresarial de Paredes vai realizar no próximo dia 8 de Março, com recepção pelas 20h30, na Casa da Cultura de Paredes, assinalando assim o centenário da Proclamação do Dia Internacional a Mulher.

"Filhos de Abril" Apelamos a todos a estar presentes na casa da cultura de forma a apoiar e reforçar uma data histórica, em que toda ela é de luta por igualdade, pelos direitos e liberdade da mulher.

Depois do que se passou com as trabalhadoras da fábrica dos cogumelos na Freguesia da Madalena (Sousacamp), temos a certeza de que as mulheres do nosso concelho têm que se organizar e lutar para se verem livres da exploração feita pelos "vampiros"

Qual Pedras e Diamantes?

Manif: Dia 26 de Março Jovens Trabalhadores de Paredes vão lá estar



Dia 26 de Março lá estaremos mais uma vez na rua a lutar, com a razão do nosso lado, com a força e determinação da juventude trabalhadora reclama do governo e dos patrões a recuar nas suas intenções, garantindo às novas gerações trabalho com direitos!


Lutamos por:

* A revogação das normas gravosas do Código de Trabalho e da Legislação Laboral da Administração Pública condição para travar a degradação em que o País e a vida dos jovens trabalhadores se encontra.

* O Combate eficaz ao desemprego que ponha fim aos despedimentos e aposte numa política de investimento do aparelho produtivo, com a criação de postos de trabalho, aproveitando as nossas capacidades e força de trabalho!
 
* Estabilidade laboral que ponha fim á velha chaga social que é a precariedade, exigindo a passagem a efectivos de todos os trabalhadores que exerçam funções de carácter permanente. Só a estabilidade laboral garante o emprego com direitos e direito a uma vida melhor para a juventude.
  
* Aumento REAL DOS SALÁRIOS medida imperativa para uma melhor distribuição da riqueza e aumento do poder de compra.
  
* Horários de trabalho dignos que permitam uma vida laboral com saúde, que assegure a harmonia com a vida familiar, e que dê espaço ao lazer, à cultura, ao desporto e a todas as formas de bem-estar numa sociedade moderna e desenvolvida.
  
* Defesa da contratação colectiva, como garantia de valorização do trabalho, garantindo assim um vasto conjunto de direitos, também eles previstos na Constituição da República Portuguesa, como forma de progresso do País e da vida dos jovens.

Mulheres: "Trabalho igual salário igual !"

8 de Março dia Internacional da Mulher

«A recuperação capitalista iniciada em 1979 pelos governos do PS, PSD e CDS-PP tem tido como objectivo central a destruição das conquistas, dos direitos e objectivos que emanaram da Revolução de Abril. Destruição que representa também ataques contra os direitos das mulheres conquistados com Abril, patentes no sentido da evolução verificada nas últimas décadas, e que se traduz na ausência de uma efectiva participação das mulheres em igualdade e no exercício dos seus direitos constitucionalmente consagrados, independentemente da sua origem social, da idade ou da região onde residem ou trabalham».


segunda-feira, 1 de março de 2010

DA LEITURA DOS JORNAIS -1

Título
Desemprego no Vale do Sousa chegou de Espanha em 2009” Carla Soares (em DN de 28-2-2010)

A Frase
O Vale do Sousa é a região do Porto com os maiores aumentos de desemprego em 2009. Com o colapso do mercado espanhol, muitos trabalhadores tiveram de regressar. E houve despedimentos nas empresas dependentes das exportações para o país vizinho.

Os números
 Crescimento do desemprego entre Janeiro de 2009 e Janeiro de 2010
 - no Distrito do Porto – 25,3%
- em Paços de Ferreira – 53,4%
- em Lousada – 49,7%
- em Paredes – 39,7%
-em Gaia -29,6%
- no Concelho do Porto – 17,7%

As razões do desemprego crescente no Vale do Sousa
- a crise espanhola e a diminuição da emigração de operários da construção civil
- o fecho de empresas
- o desaparecimento do mercado interno do mobiliário

Conclusão
Ao contrário do “olhar refrescado” sobre o desemprego da Ministra do Trabalho e da Solidariedade Social Helena André, a realidade impõe um “olhar preocupado e comprometido”